Liturgia Dominical
XVI Domingo do Tempo Comum | C
Arquidiocese

Santuário do Bom Jesus já é PATRIMÓNIO MUNDIAL!
[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Departamento para Ministros Extraordinários da Comunhão e Ministérios Litúrgicos
17 Mai 2016
Lectio Divina de Maio
Maria de Nazaré
PARTILHAR IMPRIMIR
 

V. Aonde leva o encontro com o Deus da misericórdia?

Lc 1, 26-40 (Maria de Nazaré)

26Ao sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, 27a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de David; e o nome da virgem era Maria.

28Ao entrar em cada dela, o anjo disse-lhe: “Salvé, ó cheia de graça, o Senhor está contigo”. 29Ao ouvir estas palavras, ela perturbou-se e inquiria de si própria o que significava tal saudação. 30Disse-lhe o anjo: «Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus. 31Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. 32Será grande e vai chamar-se Filho do Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o trono de seu pai David, 33reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim”.

34Maria disse ao anjo: “Como será isso, se eu não conheço homem?” 35O anjo respondeu-lhe: “O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo estenderá sobre ti a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer é Santo e será chamado Filho de Deus. 36Também a tua parente Isabel concebeu um filho na sua velhice e já está no sexto mês, ela, a quem chamavam estéril, 37porque nada é impossível a Deus”. 37Maria disse, então: “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. E o anjo retirou-se de junto dela.

 

Introdução

Antes de nos aproximarmos do texto, vamos preparar o nosso interior para o acolher como Palavra de Deus. Colocamo-nos na presença do Senhor com uma breve oração: “Fala, Senhor, que o teu servo escuta” (1 Sm 3, 10). Fazemos um breve tempo de silêncio e começamos com uma oração rezada por todos.

 

1. Leitura atenta do texto (lectio)

Neste primeiro momento, a atenção fixa-se no texto, com o desejo de descobrir qual é a mensagem que o autor quis transmitir aos seus primeiros destinatários.

a) Leitura. Proclama-se o texto escolhido, em voz alta, e todos escutam atentamente.

b) Silêncio. Cada um lê novamente a passagem, ajudado pelas notas da Bíblia. Perguntas para a reflexão:

. Qual é o projeto de Deus para Maria? Como vai realizar-se?

. Como reage Maria diante do anúncio do anjo?  

. Que atitudes de Maria realçam mais deste texto?

c) Partilha. Os participantes partilham a descoberta feita na leitura do texto e das notas, e também o que não entenderam ou os surpreendeu.

 

2. Deixamo-nos interpelar pelo texto (meditatio)

Neste segundo momento, a atenção centra-se na descoberta da mensagem do texto na nossa situação pessoal, comunitária, social.

a) Leitura. Lê-se, de novo, o texto, em voz alta, enquanto todos escutam silenciosamente.

b) Silêncio. Cada um lê o texto em silêncio, perguntando-se o que é que o Senhor lhe quer dizer, procurando descobrir a sua vontade:

. Como procuras descobrir, na tua vida, a vontade de Deus?

. Como é que a figura de Maria te ajuda a entender melhor o que significa seguir Jesus?

c) Partilhar. Os participantes partilham o que descobriram no momento do silêncio, tanto a nível pessoal como comunitário.

 

3. A palavra exige uma resposta (oratio-actio)

Neste terceiro momento, respondemos à Palavra de Deus. Podemos fazê-lo através de uma oração pessoal, de um compromisso ou de ambas as coisas.

a) Leitura. Lê-se de novo o texto e todos escutam com atenção.

b) Silêncio. Cada um reza pessoalmente, expressando o que esta passagem da Escritura lhe sugere que diga a Deus, procurando por em prática o convite de Deus. Poder-nos-íamos esforçar por ler com mais constância a Palavra de Deus e anunciá-la com maior entusiasmo.

c) Partilhar. Cada um pode fazer uma breve oração que seja o reflexo do que fez durante o tempo de silêncio ou partilhar com os outros o compromisso pessoal ou comunitário a que tiver chegado.

Conclusão

O encontro termina com a oração do Magnificat (Lc 22, 46b-55), pedindo a Deus que a sua Palavra modele e transforme a vida.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Departamento para Ministros Extraordinários da Comunhão e Ministérios Litúrgicos
Contactos
Morada

Rua S. Domingos, 94 B
4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Coordenador

Cón. Manuel Joaquim Fernandes da Costa

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui