Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com The Tablet | 14 Out 2021
Dêem às mulheres liderança real na Igreja, diz Bispo irlandês
É preciso encontrar maneiras de dar às mulheres “papéis de liderança muito reais” e “uma palavra muito real” na vida da Igreja Católica, de acordo com o bispo Paul Dempsey, de Achonry.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © John McElroy

Falando aos membros do grupo de reforma leiga, “We Are Church Ireland”, após uma palestra online sobre a Assembleia Sinodal Nacional para a Igreja da Irlanda, o Bispo Dempsey disse: “Consigo ver claramente que podem existir todos os tipos de papéis de liderança muito reais dados a mulheres em torno da tomada de decisão e votação, que não têm nada a ver com ordenação”.

O Bispo Dempsey, que é membro do comité que trabalha na Assembleia Sinodal Nacional na Irlanda, acrescentou: “Pessoalmente, não entendo porque é que a Igreja não pode avançar mais nesta área”. O Bispo reconheceu que é uma área que precisa de ser examinada.

O prelado de 50 anos referiu-se a um artigo na edição de Setembro da revista America por Lucetta Scaraffia, “Mulheres no Colégio de Cardeais: uma proposta modesta para uma igreja mais igual (e profética)”, e observou que ser nomeado como cardeal não requer ordenação. “É uma questão interessante para se reflectir”, afirmou D. Paul.

Ordenado em Agosto de 2020 na Catedral da Anunciação e Santa Natia em Ballaghaderreen, o bispo mais jovem da Igreja irlandesa não se deixa levar para a questão da ordenação de mulheres.

“Eu sei que muitos aqui defendem a ordenação de mulheres e há grandes grupos na Igreja que dizem “absolutamente não” [à ordenação de mulheres]. Mas, deixando isso de lado, tem de haver uma maneira de as mulheres poderem ter uma palavra muito real na vida da Igreja e não chegar perto da questão da ordenação. Isto tem que ser avaliado.”

O nativo de Carlow, que foi ordenado sacerdote em 1997 e serviu como sacerdote na Diocese de Kildare e Leighlin antes de ser nomeado Bispo de Achonry, expressou preocupação na sua palestra de que o sínodo na Irlanda se concentrasse apenas nas questões mediáticas.

“Não estou a dizer que os problemas mediáticos não devem ser discutidos. Claro, precisam de ser discutidos. Mas acho que deve haver mais do que apenas esses problemas. O meu medo é que fiquemos presos nas nossas próprias agendas, ao invés do quadro geral da missão que recebemos de Jesus Cristo para partilhar o Evangelho no mundo de hoje”, afirmou.

O Bispo identificou outras preocupações como as posições polarizadas e divisões dentro da Igreja, onde algumas pessoas querem ver uma mudança muito importante na vida da Igreja, e outras não querem ver nenhuma mudança, querem antes que a Igreja volte ao que era há um século ou mais.

“O meu medo é que, para alguns, se a mudança não acontecer como gostariam, haja decepção e desilusão. E, outros, se a mudança acontecer, ficarão desapontados e desiludidos. É complicado e certamente vamos precisar do Espírito para nos ajudar a lidar e a navegar pelos diferentes pontos de vista fortes que as pessoas têm”, explicou.

Também advertiu que o Sínodo não se deve tornar orientado para as questões, ao invés de ser orientado para a missão. Observando que o Concílio Vaticano II era sobre missão e não modernização, o Bispo Dempsey disse que o chamamento de hoje, como foi com o Vaticano II, é para que a comunidade de discípulos partilhe a visão de Jesus Cristo e do Evangelho.

“O meu medo é que talvez isso se perca um pouco se [o sínodo] se tornar muito controverso e apenas sobre questões”, referiu.

A jornada sinodal da Igreja irlandesa não deve ser uma jornada “única” ao longo dos próximos dois anos, culminando na Assembleia ou Assembleias cinco anos depois, o que levaria as pessoas a dizer “é isso”.

"Isso seria um grande erro. A sinodalidade deve ser uma forma de ser Igreja. Espero que isso nos encoraje a ser mais abertos ao Espírito na vida da Igreja por muitos e muitos anos”, sublinhou.

Falando sobre os processos da jornada sinodal na Igreja irlandesa, o bispo de Achonry disse que os próximos dois anos serão um processo de escuta. “Espero que alcancemos o maior número possível de constituintes, para todos que desejam contribuir com algo para a Igreja Irlandesa”, afirmou.

O comité que supervisiona este processo é composto por 20 mulheres e homens, leigos e ordenados. O Bispo Dempsey descreveu o grupo como “muito variado” e sublinhou que o feedback das pessoas seria direccionado para este grupo, e não para a mesa dos bispos. No entanto, explicou que “a grande maioria dos bispos está muito aberta para tentar ouvir o que as pessoas estão a dizer e para fazer parte deste processo sinodal mais amplo”.

Artigo de Sarah Mac Donald, publicado no The Tablet a 13 de Outubro de 2021.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Sínodo  •  Mulheres  •  Missão  •  Povo de Deus  •  Irlanda
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui