Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com Vida Nueva Digital | 27 Jan 2022
Igreja no México pede a todas as dioceses para darem prioridade ao tema da paz na sua pastoral
Conferência do Episcopado Mexicano exortou o povo de Deus a unir-se a este esforço, tornando-se verdadeiros artesãos da paz.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © CEM

A Conferência do Episcopado Mexicano (CEM) lamentou as “gravíssimas circunstâncias de violência e insegurança que persistem em diversos estados e cidades do país”, pelo que convocou todo o povo de Deus a contribuir com o máximo de esforço para serem artesãos de Paz.

Numa declaração assinada pelo presidente da CEM, D. Rogelio Cabrera López, e pelo secretário geral, D. Ramón Castro Castro, a Igreja mexicana comprometeu-se a liderar este esforço, dando instruções a todas as comissões e dimensões nacionais e diocesanas para incluir o tema da paz de forma transversal nas suas pastorais.

“Com criatividade inspirada pelo Espírito Santo e em diálogo com todos os homens e mulheres de boa vontade, percorramos os caminhos da construção da paz. A nossa Mãe Santa Maria de Guadalupe irá acompanhar-nos nesta jornada”, destacaram os bispos.

 

Os três eixos propostos pelo Papa

Esta mensagem – inspirada no 55º Dia Mundial da Paz com o tema “Educação, trabalho, diálogo entre gerações: ferramentas para construir uma paz duradoura” – procura ser neste momento uma palavra de conforto, proximidade e acompanhamento para os que sofrem de diferentes formas de violência no México.

“Uma palavra de encorajamento – explica o texto – aos que se empenham na construção da paz e aos responsáveis ​​pelo quadro institucional que torna a paz possível para todos”, mas também “um apelo à consciência de todos aqueles que causam sofrimento e morte, para convidá-los ao arrependimento e à conversão”.

Da mesma forma, os bispos exortaram todos os homens e mulheres de boa vontade para que nas diversas etapas e circunstâncias da vida não esqueçam que o mínimo gesto em favor de uma paz digna e duradoura é valioso e insubstituível.

“Estamos dispostos a unir os esforços de cada pacificador e comprometemo-nos a caminhar com eles”, destacaram.

 

Uma tarefa a curto, médio e longo prazo

Depois de assinalar que a Igreja está ciente de que a construção da paz é uma tarefa que requer atenção permanente e que deve ser realizada a curto, médio e longo prazo, os bispos propuseram trabalhar com as ferramentas que o Papa Francisco propôs para construir uma paz duradoura: educação, trabalho e diálogo.

Neste sentido, fizeram um apelo para que não falte nas escolas a educação para a paz, “para que todas as crianças e jovens saibam que um México em paz é possível"; que todos os homens e mulheres em idade activa possam ter um trabalho digno e bem remunerado e que se promova o diálogo entre os jovens e os avós para fortalecer as famílias.

“O México, como todas as nações, deve guiar e trilhar o seu caminho rumo a uma vida em paz, com saúde e sustentabilidade. Para isso, todos precisamos de participar, contribuir e colaborar, como indivíduos, comunidades e instituições responsáveis”, concluíram os bispos.

 

Artigo de Miroslava Lopéz, publicado em Vida Nueva Digital a 27 de Janeiro de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
CEM  •  México  •  Paz  •  Bispos
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui