Arquidiocese

Ano Pastoral 2021+2022

"Onde há amor, nascem gestos"

[+info]

Desejo subscrever a newsletter de Revista de Imprensa Internacional
DACS com La Croix International | 22 Set 2022
Doenças transmitidas pela água aumentam os problemas das cheias no Paquistão
Muitas ONGs da Igreja estão a ajudar as vítimas das cheias, mas a destruição é demasiado grande para fazerem muita diferença.
PARTILHAR IMPRIMIR
  © Getty Images

Com as águas das cheias a submergirem um terço do Paquistão, o país agora enfrenta o ataque de doenças transmitidas pela água que afectam as pessoas ainda deslocadas.

“Em algumas áreas a água está a baixar, mas agora há doenças como diarreia, malária, doenças de pele. Também há falta de medicamentos e pessoal médico”, disse uma fonte da Igreja ao La Croix International.

Mulheres, crianças, idosos e pessoas com deficiência são os mais vulneráveis, disse a fonte, acrescentando que um grande número de gado, importante para a população em grande parte agrária, pereceu.

Muitas organizações voluntárias estão a ajudar as vítimas das cheias, dando-lhes um lugar seguro para ficar. Infelizmente, a destruição é tão grande que as pessoas não estão a receber nenhum abrigo, disse a fonte da Igreja.

O arcebispo Benny Travas, de Karachi, chefe da Cáritas Paquistão, também apelou à solidariedade com todos os afectados pelas piores inundações.

“O pessoal diocesano da Cáritas de Karachi [capital da província de Sindh] já iniciou o trabalho de acompanhamento e ajuda, peço urgentemente apoio e convido as pessoas de boa vontade a doarem dinheiro ou ajuda material”, disse o arcebispo.

Amjad Gulzar, director executivo da Cáritas Paquistão, pediu “mosquiteiros, pacotes de alimentos”. O padre Zahid Augustine, pároco da Igreja do Sagrado Coração, responsável pelo Grupo de Jovens Activos que ajuda as pessoas afectadas cheias, levando medicamentos, rações de alimentos e fundos, disse que nunca viu este tipo de desastre natural anteriormente.

Nas últimas semanas, centenas de pessoas foram picadas por cobras, principalmente crianças, disse a fonte. Além disso, mais de 47.000 mulheres estão grávidas e vão dar à luz em poucos dias, mas não há hospitais adequados para elas.

De acordo com um relatório do governo, houve pelo menos nove mortes nas últimas 24 horas, todas causadas por diarreia, malária e gastroenterite na província de Sindh, no Sudeste, onde mais de 300 pessoas já sucumbiram a doenças relacionadas com a água desde Julho.

Noutros lugares, mais de 2,7 milhões de pessoas foram tratadas a doenças transmitidas pela água em hospitais improvisados ​​instalados em regiões atingidas por inundações desde 1 de Julho, segundo o relatório, com 72.000 pessoas tratadas nessas instalações só na segunda-feira.

“Já existe um surto de doenças”, disse Ahsan Iqbal, ministro do planeamento do Paquistão, que também é chefe de um centro nacional de resposta a cheias, em conferência de imprensa em Islamabad. “Tememos que isto possa ficar fora de controlo”, afirmou.

 

Papa pede ajuda “pronta e generosa”

O Paquistão, uma nação de 220 milhões de pessoas, tem enfrentado grandes cheias durante a estação das chuvas e desde meados de Junho.

Cerca de dois milhões de casas, centenas de pontes e estradas também foram destruídas nas regiões mais atingidas das províncias de Sindh, Baluchistão e na parte Sul de Punjab.

Aproximadamente 40 milhões de pessoas foram afectadas pelas cheias, com 1.559 mortos, incluindo 551 crianças e 318 mulheres, segundo dados mais recentes da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres do Paquistão.

Enquanto o primeiro-ministro do Paquistão, Shehbaz Sharif, declarou uma emergência em todo o país, pedindo ajuda à comunidade internacional, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, que visitou várias áreas do Paquistão devastadas pelas inundações disse: “é difícil não nos sentirmos profundamente comovidos ao ouvir descrições tão detalhadas da tragédia”.

O Papa Francisco também pediu ajuda. “Quero assegurar ao povo do Paquistão, atingido por inundações de proporções desastrosas, a minha proximidade. Rezo pelas numerosas vítimas, pelos feridos e expulsos das suas casas, e que a solidariedade internacional seja pronta e generosa”, disse Francisco no final de um Ângelus de Domingo.

A UNICEF já reagiu à emergência entregando 32 toneladas de produtos médicos que salvam vidas e outras ajudas de emergência para ajudar crianças e mulheres afectadas. Esta remessa inclui medicamentos, produtos médicos, comprimidos de purificação de água e suplementos alimentares terapêuticos.

[Quem desejar ajudar o Paquistão, pode fazê-lo através da Cáritas clicando aqui]

Artigo do La Croix International, publicado a 21 de Setembro de 2022.

PARTILHAR IMPRIMIR
Palavras-Chave:
Paquistão  •  Cheias  •  Mulheres  •  Crianças  •  Cáritas  •  Emergência  •  Papa Francisco
Revista de Imprensa Internacional
Contactos
Morada

Rua de S. Domingos, 94 B 4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190

Quer dar uma ideia à Arquidiocese de Braga com o objectivo de melhorar a sua comunidade?

Clique Aqui

Quer dar uma sugestão, reportar um erro ou contribuir para a melhoria deste site?

Clique Aqui