Arquidiocese

Programa Pastoral 2019+2020
“Levantar-se e semear esperança”
[+info]

Desejo subscrever a newsletter da Arquidiocese de Braga
Silva Araújo | 3 Mai 2004
Dia Mundial das Comunicações Sociais
PARTILHAR IMPRIMIR
1 -- Origem O Dia Mundial das Comunicações Sociais, que se celebrou pela primeira vez em 7 de Maio de 1967, foi instituído por Paulo VI, na sequência do número 18 do Decreto Inter Mirifica, do Vaticano II. Relativamente à forma como deve se celebrado há uma carta da Comissão Pontifícia da Comunicação Social, de 14 de Junho de 1966, e um conjunto de sugestões apresentadas pela mesma Comissão. Em 1960, durante o período preparatório do Concílio, vários Bispos manifestaram o desejo de que se «instituísse uma Dia Mundial das Comunicações Sociais com o fim de sensibilizar os fiéis, lembrar princípios doutrinais e recolher fundos económicos, como já se fazia para as missões e para outras iniciativas de interesse vital para a Igreja» (Esquema preparatório, n.º 16). Após diversas modificações os padres conciliares chegaram ao texto actual do artigo 18 do Decreto Inter Mirifica, que institui para toda a Igreja o Dia Mundial das Comunicações Sociais. Tal instituição não constitui novidade absoluta. De facto, nalguns países celebrava-se já um «Dia da Boa Imprensa». Nos Estados Unidos da América, desde 1933 que a National Legion of Decency convidada todos os católicos daquele País a fazerem, no domingo seguinte à festa da Imaculada Conceição, a «promessa» de se aplicarem a elevar o nível moral dos espectáculos cinematográficos. Em 1936 Pio XI, na Encíclica Vigilanti Cura, aprovava essa iniciativa e recomendava-a a «todos os Pastores de almas». E em 1957 a Encíclica Miranda Prorsus, de Pio XII, convidava todos os bispos a aplicarem-na a todos os meios audiovisuais, fixando-a «num dia ferial do ano». 2 -- Características O Dia Mundial das Comunicações Sociais, tal como foi instituído pelo Concílio do Vaticano II, difere, porém, das iniciativas precedentes pelos seguintes motivos: é mundial; é dedicado a todos os meios de comunicação social e não apenas ao cinema ou aos audiovisuais; (reduz a uma única celebração anual dos instrumento de comunicação social todos os outros «Dias» da imprensa, do cinema, etc. que existiam em diversos países ou dioceses); além dos fins atribuídos aos dias precedentes, prevê uma «colecta» destinada a contribuir pecuniariamente para a realização destes fins; é o único Dia Mundial pedido pelo Concílio; é destinado a estimular a colaboração de todos os cristãos, de todos os crentes e de todos os homens de boa vontade. A Instrução Pastoral Communio et Progressio, publicada em 23 de Maio de 1971 (V Dia Mundial das Comunicações Sociais) declara: «Para que todas estas perspectivas não fiquem letra morta impõe-se um programa de acção comum. de grande utilidade, segundo a proposta do II Concílio do Vaticano. É a instituição do Dia Mundial das Comunicações Sociais. Todos os homens que crêem em Deus são convidados a dedicar este dia à oração e ao estudo sobre os problemas actuais e futuros dos meios de comunicação. Pelo encontro de peritos de todos os sectores, novas perspectivas se abrirão e novas iniciativas se encorajarão, de modo que o serviço prestado por estes meios à humanidade seja cada vez mais eficaz. Finalmente, que todo o Povo de Deus, pastores ou fiéis, dêem a sua colaboração aos homens de boa-vontade, para que os meios de comunicação social possam ser usados sempre cada vez mais em função da justiça, da paz e da liberdade humana» (n.º 100). 3 -- Objectivos São objectivos deste dia os grandes desafios que a Comunicação Social coloca à Pastoral da Igreja: evangelizar através dos Meios de Comunicação Social, evangelizar os Meios de Comunicação Social, educar os receptores dos Meios de Comunicação Social. O texto do decreto Conciliar Inter Mirifica fixa, antes de tudo, o fim geral deste Dia: «para que se revigore o apostolado da Igreja em relação com os meios de comunicação social» (n.º 18). Trata-se, pois, de uma realização prática, destinada a sustentar todas as actividades da Igreja neste sector, quer elas sejam de carácter formativo (arts. 15 e 16) quer se refiram à acção directa (art. 14); e quer esses meios pertençam exclusivamente à Igreja, quer esta colabore parcialmente na sua utilização (arts. 19 e 21). O Decreto Conciliar estabelece, em seguida, as modalidades de celebração do «Dia»: a sua periodicidade («cada ano») e a sua extensão («em todas as dioceses do mundo»). Dada a sua importância e as suas implicações pastorais, o «Dia» deverá ser organizado «com o assentimento dos bispos». Foram três as finalidades fixadas pelo Concílio para este «Dia»: a) -- formar as consciências nas responsabilidades que cabem a cada indivíduo, grupo ou sociedade, como utentes ou como utilizadores destes meios; b) -- convidar os crentes a rezarem para que os media sejam sempre usados em conformidade com o desígnio de Deus sobre a humanidade; c) -- encorajar os católicos a sustentarem, pela sua generosidade, num esforço de solidariedade de toda a comunidade eclesial, as despesas exigidas pelo emprego dos meios de comunicação social para a evangelização e o progresso dos povos. A Instrução Pastoral Communio et Progressio, ao lembrar a obrigação de organizar este «Dia», acrescenta ao mesmo mais dois objectivos; d) -- ser posto em relevo, por esta ocasião, o papel de quantos trabalham nos meios de comunicação social (n.º 167); e) -- convidar todos os homens que crêem em Deus a dedicar este à oração e ao estudo dos problemas actuais e futuros dos meios de comunicação (n.º 167). Na Instrução Pastoral Aetatis Novae (alínea d) n.º 31) diz-se que um plano de pastoral da comunicação deve tender a «celebrar o Dia Mundial das Comunicações sociais como meio de evidenciar a importância das comunicações sociais e de apoio às iniciativas tomadas pela Igreja em matéria de comunicação». Em nota de Abril de 1969 a Conferência Episcopal Portuguesa recomenda «se aproveite a oportunidade para (nesse dia) promover uma adequada doutrinação sobre as graves obrigações que a todos incumbem, nessa matéria, e convidem-se os fiéis a pedir a Deus, em favor desta causa, o auxílio da graça divina que suscita, sustenta e torna eficazes os nossos esforços apostólicos». Paulo VI, em 23 de Abril de 1978, disse que esta dia deveria ser dedicado a uma reflexão específica sobre a função e o uso dos instrumentos que servem para as comunicações sociais. Em carta de 14 de Junho de 1966 a então Comissão Pontifícia da Comunicação Social apontava os seguintes objectivos: a) tornar todos os homens, os fieis em primeiro lugar, conscientes dos deveres de cada um e de toda a humanidade, hoje, neste campo; b) rezar para que todos estes instrumentos sirvam para o bem da humanidade e para a glória de Deus; c) onde for julgado oportuno a celebração será acompanhada de uma colecta, destinada a manter a eficiência dos secretariados nacionais e outras iniciativas nacionais ou diocesanas nesse sector. Nas sugestões pastorais apresentadas para a celebração do primeiro dia apontam-se como objectivos. a) despertar na sociedade o sentido de responsabilidade em face às vantagens e perigos múltiplos que resultam no uso dos Meios de Comunicação Social; b) instruir os cristãos sobre as exigências da sua fé no uso dos Meios de Comunicação Social; c) assegurar o eficaz apoio da Igreja aos homens e empresas que utilizam estes meios para a difusão da verdade e maior brilho da caridade no mundo. De harmonia com estes objectivos o Dia deveria alcançar o grande público, mesmo o não católico, e interessar particularmente os meios profissionais da imprensa, do cinema, do rádio e da televisão Será também a ocasião de submeter a um atento exame a situação nacional ou local neste domínio. O Dia Mundial fornece uma oportuna ocasião de manifestar a todo o mundo o interesse da Igreja pelo desenvolvimento dos Meios de Comunicação Social. Através da solidariedade de todos os fiéis e do sustento de suas orações, quer também contribuir para a expansão de um apostolado indispensável à difusão da Palavra de Deus, à educação cristã e à própria presença da Igreja no mundo moderno. A comemoração do Dia pode também demonstrar aos profissionais da imprensa, do rádio, da televisão e do cinema que a Igreja não é indiferente aos seus problemas e que tem em alta estiam as suas actividades. 4 -- Organização e preparação A organização do Dia Mundial das Comunicações Sociais é tarefa dos secretariados nacional e diocesano (Communio et Progressio, n.º 171), que deverão receber das autoridades eclesiásticas todo o apoio à sua preparação e celebração (Idem., n.º 167). A sua vivência deve ser devidamente preparada a nível nacional, diocesano e paroquial (Ver o livro de Romeu Dale, «Igreja e Comunicação Social», pag. 201 sgs.) A preparação pode incluir: a divulgação atempada da mensagem do Papa com os subsídios que forem necessários para o seu estudo e reflexão; um encontro com os profissionais da Comunicação Social, reflectindo com eles sobre a mensagem e sensibilizando-os para a conveniência de a divulgarem e analisarem; sensibilizar os responsáveis dos vários movimentos apostólicos para, com os seus membros, analisarem a mensagem e reflectirem sobre a problemática da comunicação social; sensibilizar os professores das escolas, sobretudo os de Religião e Moral, para falarem aos alunos sobre o que é o Dia Mundial, os seus objectivos, e reflectirem sobre o tema do ano e a mensagem do Papa. A nível paroquial, nos domingos que precedem a celebração do Dia Mundial, ir falando dele às pessoas e ir abordando o tema nos diversos grupos. Pode ser divulgada uma nota do Prelado Diocesano ou do Secretariado para as Comunicações Sociais. A celebração do Dia Mundial pode ser pretexto para um encontro do Prelado Diocesano com os jornalistas da sua diocese ou pelo menos com os responsáveis pelos vários meios de comunicação social existentes na sua área. A homilia das Missas do dia deve fazer referência à problemática da Comunicação Social e à mensagem do Papa. Será necessário insistir na ligação existente entre a celebração litúrgica e a realidade da vida quotidiana na qual se inserem os Meios de Comunicação Social. O Povo de Deus, na verdade, deverá utilizar estes meios ao serviço do Senhor (Colecta), para a difusão da Caridade (Epístola) e da Verdade (Evangelho) no mundo. Que se escolha uma oração universal apropriada. Pode, neste dia, informar-se o público sobre como funcionam as comunicações sociais da Igreja: a organização dos secretariados de comunicações sociais; que meios de comunicação social tem a Igreja, indicando as respeitavas tiragens e audiências; o espaço que a Igreja tem na comunicação social que lhe não pertence; o ensino da comunicação social nas escolas da Igreja: as várias organizações existentes: OCIC – Office Catholique International du Cinema; UCIP – Union Catholique Internationale de la Presse; UNDA – Association Catholique Internationale pour la Radiodiffusion et la Télèvision; ARIC – Associação de Rádios de Inspiração Cristã; AIC – Associação de Imprensa de Inspiração Cristã; NOVA – Confederação dos Meios de Comunicação Social de Inspiração Cristã; VOX – Associação Mundial de Rádios de Inspiração Cristã de Expressão Portuguesa (constituída formalmente em 16 de Outubro de 1997, numa iniciativa conjunta da ARIC e da Rádio Renascença)... Era bom obter-se a contribuição dos próprios Meios de Comunicação Social para a celebração deste Dia. Um editorial em cada jornal católico, artigo apropriado nos jornais de informação geral, a rubrica religiosa na rádio e na televisão deveriam ser dedicados aos ensinamentos do Magistério da Igreja neste campo, à ilustração da imensa influência exercida pelos Meios de Comunicação Social e à acentuação dos preciosos serviços que eles prestam à humanidade. 5 -- Destinatários O Dia Mundial das Comunicações Sociais deveria alcançar o grande público, mesmo o não católico, e interessar particularmente os meios profissionais da Imprensa, do Cinema, da Rádio e da Televisão. 6 -- Colecta Da colecta que neste dia deve ser feita em todas as igrejas e capelas 70 por cento será destinado ao trabalho das comissões ou secretariados diocesanos e 30 por cento é para a Comissão Episcopal respectiva. Tem como objectivo apoiar economicamente a pastoral da comunicação social. 7 -- Data A data escolhida para celebrar o Dia Mundial das Comunicações Sociais foi o Domingo posterior à Ascensão. Na citada carta de 14 de Junho de 1966 a Comissão Pontifícia da Comunicação Social justificava assim a escolha desta data: a) é um dia de festa e de preceito que não é um dia de grande festa nem coincide com outras jornadas mundiais já fixadas pela Santa Sé; b) nessa ocasião, nos diversos lugares do mundo, os alunos frequentam as escolas, de maneira que a juventude, particularmente interessada neste assunto, possa ser informada dos seus deveres; c) o Domingo depois da Ascensão parece indicado do ponto de vista litúrgico já que precede um pouco o Pentecostes, festa em que se comemora a comunicação da verdade e da caridade pelo Espírito Santo. 8 -- Temas das mensagens papais Para cada um dos dias mundiais há um tema, uma mensagem do Papa e um conjunto de subsídios fornecidos pelo Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais. A mensagem do Papa é normalmente dada conhecer em 24 de Janeiro, dia litúrgico do Padroeiro dos Jornalistas, S. Francisco de Sales. Apresento, de seguida, o elenco dos temas que têm sido versados ao longo dos anos: I -- 2 de Maio de 1967 – O Cristão diante do vasto fenómeno moderno dos Meios de Comunicação Social II -- 26 de Maio de 1968 – Os Meios de Comunicação Social e o progresso dos povos III -- 18 de Maio de 1969 – Os Meios de Comunicação Social e a Família IV -- 6 de Abril de 1970 – Os Meios de Comunicação Social e a Juventude. V -- 23 de Maio de 1971 – Os Meios de Comunicação Social ao serviço da unidade dos homens. VI -- 14 de Maio de 1972 – Os Meios de Comunicação Social ao serviço da verdade VII -- 1 de Maio de 1973 – Os Meios de Comunicação Social ao serviço da afirmação e promoção dos valores espirituais. VIII -- 16 de Maio de 1974 – As Comunicações Sociais e a evangelização no mundo contemporâneo. IX -- 19 de Abril de 1975 – As Comunicações Sociais e a reconciliação XX -- 11 de Abril de 1976 – As Comunicações Sociais perante os direitos e deveres fundamentais do homem. XI -- 12 de Maio de 1977 – A Comunicação Social e a Publicidade: vantagens, perigos e responsabilidade. XII -- 23 de Abril de 1978 – As esperanças, os direitos e os deveres do homem como receptor dos Meios de Comunicação Social. XIII -- 1979 – A protecção da infância, na família e na sociedade XIV -- 1980 – O papel dos mass media e os deveres da família XV -- 31 de Maio de 1981 – As Comunicações Sociais ao serviço da liberdade responsável do homem. XVI -- 1982 – O problema da terceira idade XVII -- 1983 – A promoção da paz XVIII -- 1984 – Comunicação Social como instrumento de encontro entre a Fé e a Cultura XIX -- 19 de Maio de 1985 – A formação cristã da juventude XX -- 1986 – A formação cristã da opinião pública XXI -- 1987 – A estratégia da confiança para a justiça e para a paz XXII – 15 de maio de 1988 – As Comunicações Sociais ao serviço da solidariedade e da fraternidade. XXIII -- 1989 – A religião nos Meios de Comunicação Social. XXIV -- 1990 – A mensagem cristã na actual cultura informática. XXV -- 1991 – Os Meios de Comunicação Social ao serviço da unidade e do progresso. XXVI -- 1992 – A proclamação da mensagem de Cristo nos Meios de Comunicação. XXVII -- 23 de Maio de 1993 – Videocassetes e audiocassetes na formação da cultura e da consciência. XXVIII -- 1994 – Televisão e família: critérios para saber ver. XXIX -- 28 de Maio de 1995 – Cinema – veículo de cultura e proposta de valores. XXX -- 19 de Maio de 1996 – Os Mass Media: areópago moderno para a promoção da mulher na sociedade. XXXI -- 11 de Maio de 1997 – Comunicar o Evangelho de Cristo: Caminho, Verdade e Vida. XXXII -- 24 de Maio de 1998 – Sustentados pelo Espírito, comunicar a esperança. XXXIII -- 16 de Maio de 1999 – Mass Media: presença amiga ao lado de quem procura o Pai. XXXIV -- 4 de Junho de 2000 – Proclamar Cristo nos Meios de Comunicação Social no alvorecer do novo Milénio. XXXV -- 27 de Maio de 2001 – «Anunciai-o do cimo dos telhados»: o Evangelho na era da comunicação global. XXXVI – 12 de Maio de 2002 -- «Internet: um novo foro para a proclamação do Evangelho». XXXVII – 1 de Junho de 2003 -- «Os Meios de Comunicação Social ao serviço da paz autêntica, à luz da Pacem in Terris». XXXVIII – 23 de Maio de 2004 -- «Os mass media na família: um risco e uma riqueza» Bibliografia (Ver o livro de Romeu Dale, «Igreja e Comunicação Social», pag. 194 sgs.) Sores, Ismar de Oliveira, Do Santo Ofício à Libertação, pag. 132 sgs.
PARTILHAR IMPRIMIR
Departamento para a Comunicação Social
Contactos
Director

P. Paulo Alexandre Terroso Silva

Morada

Rua de S. Domingos, 94 B
4710-435 Braga

TEL

253203180

FAX

253203190